Chefs formadores dos cursos de cozinha WEAT

Descubra as histórias inspiradoras de cada chef e aprenda algumas técnicas, segredos e dicas de pessoas com uma enorme paixão e dedicação à gastronomia

Cátia Goarmon

A sua simpatia, alegria e talento conquistaram os portugueses no Masterchef e no seu programa no 24 Kitchen. E este encanto reflete-se em cada receita que cria, em cada dica que partilha e cada prato que nos dá a provar.

A Cátia Goarmon é uma especialista em comfort food, mas sempre com um toque pessoal de requinte e de sofisticação. Mas nos útlimos anos a cozinha da Cátia subiu muito de nível. Desde os Raviolis Nero di Sepia que fez no Masterchef ao actual Vol-au-vent crocante de perdiz selvagem, passou a dominar técnicas mais complexas, para além de continuar a fazer comida de conforto deliciosa.

Uma coisa não mudou: a simpatia e personalidade contagiante.

Ver workshop

Sofia Magalhães

As receitas da Sofia privilegiam sempre ingredientes naturais, biológicos e da estação, onde se incluem muitas refeições vegetarianas.

A culinária esteve presente em todas as fases da sua vida. Hoje cozinha regularmente para amigos, família, blog, revistas, restaurantes, outros eventos pontuais e sobretudo para a sua Cozinha ao Domícilio.

A Sofia opta por tudo o que é natural, biológico e consciente. Nas suas receitas, os legumes, cereais e fruta são o centro das atenções e tudo o resto são complementos. Não usa produtos refinados ou ingredientes processados e cria  receitas deliciosas, saindo dos formatos e ingredientes habituais.

É uma embaixadora contra o desperdício alimentar e partilha formas de organização e novos hábitos através do seu recente livro “Da raiz à rama“.

Nos workshops da Sofia podem aprender na prática as receitas e outros truques para cozinhar sem desperdício.

Ver workshop

Jayma Lyn Day

A Jayma nasceu nas Filipinas mas foi em Portugal que tirou o curso de cozinha. Depois de um curso de hotelaria e gerir cozinhas em hotéis por esse mundo fora, descobriu que gosta mais de cozinhar e criar novos pratos que estar a gerir os cozinheiros.

Muito se fala de cozinha de fusão, mas as receitas asiáticas que traz na bagagem e ingredientes locais e frescos tornam os pratos da Jayma mais do que uma fusão Luso-asiática. É uma cozinha focada num estilo de vida mais saudável, baseado na ideia de que a comida deve fazer as pessoas sentirem-se melhor e cada refeição que comem. É com este padrão de exigência que atende todas as preferências alimentares com uma variedade de ofertas sem glúten, naturalmente orgânicas, vegetarianas e vegans.

Responsável por vários caterings em embaixadas A Diplomata tem conquistado fama através do estômago de muitos diplomatas.

Workshops

Luisa Mafei

Chef e Mentora em Alimentação Plant-based, a Luísa trabalha com comida de verdade (mais cascas e menos embalagens).

Fez parte da primeira turma de Plant Based Culinary Arts da Le Cordon Bleu (Londres), mas a sua formação como chef foi concluída no Maní, restaurante Estrela Michelin onde estagiou. Passou pelos restaurantes plant-based Purana (São Paulo) e Quintal D` Santo Amaro (Lisboa), onde criou os menus do zero, sem nada de origem animal e glúten free.

É Health Coach certificada pelo Institute of Integrative Nutrition (Nova York), tirou um curso de Culinária Vietnamita na Brooklyn Kitchen (Nova York), de Culinária Italiana no Institute of Culinary School (Nova York) e de Confeitaria Vegana com a Chef Kamili Picoli.

A Luisa formou-se em Ciências Sociais (FFLCH/USP) e em Arte Dramática (EAD/ECA/USP) e, por isso, é uma pesquisadora insaciável e comunica com simplicidade e leveza conteúdos sobre alimentação saudável e sem nada de origem animal.

“Chamo a essa cozinha, que agora é nossa, de Cozinha Afetiva.”

Para a Luísa, a alimentação transforma tudo, do nosso corpo à nossa família, sociedade e planeta. O que começou como parte de um processo de cura, acabou por se tornar a sua profissão pois a comida que fazia era boa não apenas para si. ​É uma cozinha que nasce do carinho e respeito que tem por cada alimento, pela terra e pelas pessoas que trabalham nela. A vontade em comer algo é legítima, e pode ser contemplada mesmo quando temos restrições (como alergias) ou fazemos escolhas (como comer menos ou nenhum produto de origem animal).

Ver curso completo